Visita na maternidade deve ser cuidadosa

Depois do nascimento, mamãe e bebê precisam de um tempo só para eles. A visita à maternidade pode acontecer, mas não deve prejudicar esses momentos de privacidade

Gravidez

Saúde

Quando nasce um bebê, a ansiedade é geral. Parentes, amigos, colegas de trabalho, todos querem conhecer o recém-nascido. Mas será que esse é, realmente, o melhor momento para visitar a mamãe e o bebê que acabaram de passar pela (muitas vezes, cansativa) experiência do parto?

Não que a mamãe não queira receber todo esse carinho, mas depois de horas de trabalho de parto ou da recuperação de uma cesárea, além da adaptação às primeiras horas de amamentação, as mães precisam de sossego e descanso. Lembre-se, também, de que o bebê que acabou de vir à luz ainda está se habituando a esse mundo tão diferente daquele que ele conhece, abrigado na barriga da mamãe.  Excesso de ruído e movimento pode estressá-lo e inquietá-lo.

Por isso, por mais que a visita seja cheia de boas intenções e presentinhos para o bebê, é preciso orientar parentes e amigos sobre os cuidados para essa visita, que deve ser a mais breve possível. Você pode até deixar claro, antes mesmo do parto, se prefere receber essa visita ainda na maternidade ou, depois, já acomodada em casa. Não tenha receio de ser sincera. Explique que, em casa, você poderá receber as visitas de maneira mais atenciosa e tranquila do que no ambiente hospitalar.

Mas, caso você permita visitas à maternidade, vale organizá-las, contando com ajuda do pai ou parentes próximos.  Veja algumas dicas:

  • Mesmo que o hospital tenha horário livre para as visitas, combine com os familiares um horário e um período. Você (ou o papai) podem dizer: “O médico prefere que as visitas sejam bem curtinhas, tudo bem?”

  • Se o bebê estiver dormindo, não deixe que o acordem. Seja gentil, mas firme. Após o parto, você ficará dias sem dormir direito, dando total atenção para o bebê, e é importante aproveitar o momento em que ele dorme para descansar.

  • Na hora da amamentação, peça licença para se retirar a outro aposento (caso haja espaço) ou peça às visitas para esperarem fora do quarto. A amamentação, sobretudo nos primeiros momentos, deve ser um momento tranquilo. A melhor companhia nessa hora, além do papai, é a de uma enfermeira experiente, que poderá ajudá-la caso você tenha qualquer dificuldade em fazer o bebê pegar o seio. Mais do que isso, nesse primeiro momento, é multidão.

 

Higiene é fundamental

O bebê ainda tem o sistema imunológico frágil e não pode ser exposto aos micro-organismos que vêm da rua. Se o hospital não tiver álcool gel à disposição dos visitantes nos quartos, vale comprar um frasco e deixá-lo perto do bebê. Diante das visitas, limpe as mãos com o álcool antes de pegar o bebê. Assim, você nem precisará falar nada, seu exemplo dirá tudo.

Artigos Relacionados

Sem perder a proporção

Não caia nessa armadilha: desejos e necessidades do bebê são aspectos importantes da vida familiar, mas o mundo não gira em torno deles.

Bem me quer...

Não é hora para rivalidades. Pai, mãe e também avó, tia, babá, irmãozinho – há lugar para todos no universo afetivo do bebê.

Estrutura familiar afeta desenvolvimento do bebê

Não basta alimentar e limpar o bebê: o amor da família é fundamental para um crescimento sadio.