Tudo a declarar

Quer poupar muitas dores de cabeça futuras? Afine sua capacidade de comunicação com o bebê desde já.

13 a 18 meses

Comportamento

Se você acha que não há muito com que se preocupar, lembre que seu filho não será um bebê para sempre.

Você pisca um olho, ele é uma criança, pisca outro e ele já é um adolescente. E pouca coisa é mais desafiadora no ambiente familiar do que construir um diálogo positivo e aberto com um adolescente. O segredo? Esteja disposta a uma comunicação verdadeira com seu filho desde bebê.

  • Escute ativamente. Não falamos apenas com palavras, mas também com expressões do rosto, gestos, entonações de voz e muitos outros sinais que dependem de uma “escuta ativa” para ser percebida. Quanto menor o bebê, mais importante é estar atenta às tentativas de comunicação dele. Essa capacidade de sintonia vai enriquecer o diálogo com seu filho a vida toda.

  • Diálogo tem mão dupla. É natural que, por muito tempo, os pais deem as cartas quanto ao que o filho pode ou não fazer. Só que isso não significa que as palavras dele passam a ser supérfluas. Pelo contrário, ouvir o que ele tem a dizer (ou chorar) e considerar de verdade suas opiniões é um hábito a ser alimentado desde cedo.  

Artigos Relacionados

Bem me quer...

Não é hora para rivalidades. Pai, mãe e também avó, tia, babá, irmãozinho – há lugar para todos no universo afetivo do bebê.

Gugu-dadá já era

Quando o bebê começa a aprender as primeiras palavras, é hora de deixar para trás aquele dialeto que só mãe é capaz de entender.

Ao infinito e além

O estímulo é a base do desenvolvimento infantil. Quanto mais adequado à fase, maior o aproveitamento e o aprendizado.