Seis dúvidas sobre a moleira do bebê

Ela exige cuidados, sim. Mas não é tão frágil quanto parece!

1 a 4 meses

Saúde

Toda criança recém-nascida tem, no alto da cabeça, uma região que se destaca por um pequeno espaço entre os ossos, coberto por uma membrana fibrosa, como uma pele, e pelo couro cabeludo. O local é realmente sensível e não pode ser pressionado. No entanto, é importante saber que a moleira não se romperá com os cuidados do dia a dia e muito menos com as carícias de quem convivecom a criança. Saiba mais!

 

1. Qual é a função da moleira?

No parto normal, ela permite que a caixa craniana se contraia um pouquinho, possibilitando que o bebê passe com mais facilidade pelo canal vaginal. Depois que a criança nasce, a moleira continua tendo uma função essencial: a de proteger os ossos do alto da cabeça enquanto o crânio cresce.

 

2. Quando a moleira fecha?

Em geral, só depois que a criança completa um ano e seis meses. Se a moleira fechar antes, será preciso consultar um pediatra, para verificar se não há algum problema congênito, de nascença, a ser corrigido. Se houver demora no fechamento, da mesma forma é importante consultar um médico, para descartar problemas como a hidrocefalia.

 

3. Como eu posso ter certeza de que está tudo bem com o meu bebê?

É essencial levá-lo a todas as consultas pediátricas no primeiro ano de vida, já que faz parte da rotina dos atendimentos medir o diâmetro da cabeça da criança e verificar a moleira, para checar se o bebê está se desenvolvendo conforme o esperado para a fase.

 

4. E se a moleira estiver saltada?

Procure um médico o quanto antes. O sintoma pode indicar infecção ou outros problemas mais sérios.

 

5. Moleira rebaixada é sinal de doença?

Nos dias quentes, é normal ela ficar um pouquinho rebaixada. Mas se ela estiver afundada e o bebê apresentar diarreia ou outros sintomas, pode ser indício de desidratação ou até de outra complicação mais grave.

 

6. E se a moleira estiver pulsando?

A pulsação da moleira é normal, ainda mais se a criança estiver nervosa e chorando. O sinal só é preocupante se estiver acompanhado de outros sintomas, como febre.

Artigos Relacionados

Teste da Orelhinha

Pela Lei 12.303/10, é obrigatória a realização gratuita, em todos os hospitais e maternidades, do teste que pode identificar problemas auditivos no recém-nascido. Basta pedir.

Cuidados com os olhos

Os males que afetam olhos e pálpebras do bebê podem ter diferentes origens. Conheça causas e características de cada um.

Proteja o cérebro de seu filho

Veja algumas substâncias que você deve evitar especialmente no período de formação do sistema nervoso do bebê