Segurança no quarto é fundamental

Nos primeiros meses, o quarto é onde o bebê ficará a maior parte do tempo. Ele precisa ser agradável e totalmente seguro.

1 a 4 meses

Segurança

O primeiro mundo da criança é sua casa, local onde ela passa a maior parte do tempo nos primeiros anos de vida e, se não forem tomadas medidas de segurança, será onde ocorrerão muitos acidentes, desde os mais leves, como quedas da própria altura e pequenos traumas, até os mais graves.

Na maioria das vezes, os acidentes podem ser evitados com medidas simples. Veja o que fazer nos quartos.  

No quarto dos pais os principais perigos estão na ausência de grade na janela e de proteção nas tomadas, bem como na presença de cortina com puxador comprido, tapete escorregadio ao lado da cama e objetos perigosos ao alcance da mãozinha do bebê: medicamentos e objetos pequenos que ele pode engolir, isqueiro, fósforos, objetos pontiagudos etc.

Mas algumas medidas fáceis e simples conseguem prevenir a maioria dos riscos que a criança pequena pode correr no quarto da mamãe e do papai, local onde gostam muito de ficar.

Deixe janelas e tomadas protegidas, portas e gavetas com travas, móveis estáveis e firmes, quinas protegidas, roupas de cama bem presas debaixo do colchão, cortinas sem puxadores, tapetes que não escorreguem e aparelhos eletrônicos ligados cada um numa tomada. Tudo que é pequeno e pode ser colocado na boca deve estar dentro de gavetas travadas. Medicamentos, perfumes e cosméticos também devem ser guardados fora do alcance dos olhos e mãos da criança. E não deixe seu filho sozinho em cima da cama em momento algum.

Já no quarto do bebê, é importante começar verificando a segurança do berço. Veja se o colchão está perfeitamente encaixado, se a altura do estrado e colchão é apropriada para a idade do bebê, se as barras do berço têm distância de menos de 5 cm e se o lençol está firmemente preso ao colchão. O trocador deve estar bem encaixado na cômoda e ter cinto de segurança, e tudo o que é necessário para as trocas do bebê precisa estar à mão. As janelas e tomadas devem estar protegidas, as cortinas não devem ter puxadores ou cordões que o bebê possa puxar e o móbile do berço, bem como brinquedos, deve ficar longe do alcance dele. Veja, também, se os cantos e quinas de móveis são arredondados e, caso exista tapetes, se eles são antiderrapantes.

Fazendo todas essas verificações, você terá condições de detectar e corrigir muitos perigos, prevenindo muitos acidentes.

 

Talco no bebê? Isso já era!

As mamães de antigamente adoravam passar talquinho no bebê e sentir aquele cheirinho gostoso. Hoje, os pediatras desaconselham o uso desse produto. Além de ser um pó muito fino, o perfume pode ser forte demais, e essa combinação pode irritar o narizinho do bebê e provocar alergia. Quando esse pó fininho é inalado pelo bebê, ele pode, até mesmo, provocar obstrução das vias aéreas e danos pulmonares graves. Hoje, existem produtos neutros, como sabonetes e shampoos, feitos com produtos mais suaves, que também deixam o bebê perfumadinho e são muito mais seguros!

Artigos Relacionados

Uma nova perspectiva

Fique ligada: ele não vê a hora e você também não, mas só por volta dos seis meses o bebê consegue sentar sozinho com segurança.

Uma casa segura e preparada para o bebê

Uma casa equipada com itens de segurança pode evitar que a criança se machuque. Conheça os principais produtos e faça orçamentos com antecedência

Que tipo de móbile é melhor para seu bebê a partir dos dois meses?

Escolha modelos com sons ao toque, mas que não tenham pontas duras ou superfícies cortantes. A mãozinha do bebê já consegue alcançá-los.