Primeiros socorros para o bebê que sofre uma queda

O primeiro passo é: não entrar em pânico! Veja o que fazer para socorrer o seu bebê de forma rápida e segura.

1 a 4 meses

Segurança

Cair faz parte do desenvolvimento da criança que está aprendendo a engatinhar e a andar. Mas, conforme o bebê vai crescendo as quedas podem se tornar mais perigosas. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), no mundo todo as quedas representam a maioria dos acidentes que envolvem crianças de 0 a 4 anos. Aqui no Brasil, elas são a principal causa de atendimento de crianças nos prontos socorros. E, geralmente, esses acidentes acontecem dentro de casa.  O melhor, sempre, é prevenir, adaptando os ambientes onde a criança fica e cuidando dela, o tempo todo. Mas, se ainda assim, um acidente acontecer, é bom saber como agir. Confira:

  • Recém-nascidos sempre devem ser levados ao Pronto Socorro (PS) após sofrer uma queda; já para crianças maiores vai depender da situação. Tenha sempre à mão o endereço e telefone do PS mais próximo de casa.
  • É importante informar ao pediatra a altura da queda, tipo de superfície (piso) em que a criança caiu, área do corpo que recebeu o primeiro impacto e como a criança reagiu. Quanto mais alta for a queda e dependendo da superfície (tipo de piso) em que ocorreu, maior probabilidade de lesões mais sérias.
  • Aplique compressas frias ou bolsa de gelo no local do machucado, mas não forcem se a criança não deixar ou ficar nervosa com isso.
  • Se a criança bateu a cabeça, observe suas reações. Se ela vomitar mais de uma vez nas primeiras 24 horas depois da batida deve ser levada para o hospital, uma vez que os vômitos podem ser manifestação de fratura, sangramento e aumento da pressão dentro do crânio.
  • Se a criança reclamar de dor, pergunte ao pediatra se é possível dar algum analgésico e qual a dose indicada.
  • O ideal é que a criança não durma logo após uma queda, simplesmente porque fica mais fácil observar como ela vai reagir depois do acidente. Mas, se a queda coincidiu com o horário de sono noturno, você pode dormir perto dela, verificar se está bem ou acordá-la a cada duas ou três horas para ver se ela responde aos estímulos normalmente. Se a queda foi durante o dia, você pode deixar seu filho descansar cerca de uma hora após ter caído.  Fique perto dele e o acorde depois do tempo normal que ele costuma dormir.
  • Se a criança estiver sangrando, pressione um pano limpo ou gaze sobre o ferimento e, se o sangramento for na boca, não se assuste, esse local costuma sangrar bastante – pressione um pano seco, evite que a criança engula o sangue e tente fazer com que chupe um pano gelado.

 

Quando chamar o Serviço de Emergência

Entre em contato com o 192 (SAMU) e 193 (Bombeiros) nas seguintes situações:

1. Imediatamente, se a criança estiver inconsciente.

2. Imediatamente, se não estiver respirando: inicie manobras de ressuscitação cardiopulmonar e chame o serviço de emergência.

3. Imediatamente, se ocorreu trauma craniano sério e suspeita de fratura (quando você percebe uma área “fofa” no osso, especialmente num dos lados da cabeça).

4. Se ocorrer sonolência, irritabilidade, desorientação, alteração de comportamento, estrabismo, hemorragia no branco dos olhos, pupilas desiguais, convulsão e vômitos após a queda.

5. Se a criança reclamar de dor, especialmente no pescoço ou nas costas.

6. Se persistir chorando, inconsolável.

7. Se estiver sangrando, ou saindo outro líquido claro do nariz, ouvidos ou boca.

8. Se apresentar sinais sugestivos de fraturas (braço ou perna desalinhados, pulso meio torto, quando reclama de dor quando tocada ou quando apoia alguma parte do corpo).

 

Para saber mais

Curso Suporte Básico de Vida disponíveis em São Paulo:

Sociedade de Pediatria de São Paulo. Reanimação pediátrica.

- Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa.

Em outros estados do país procurar nos sites das sociedades médicas.

 

Artigos Relacionados

Que tipo de móbile é melhor para seu bebê a partir dos dois meses?

Escolha modelos com sons ao toque, mas que não tenham pontas duras ou superfícies cortantes. A mãozinha do bebê já consegue alcançá-los.

Como escolher o carrinho de passeio do bebê

Conforto, higiene e, acima de tudo, segurança: veja o que não pode faltar no carrinho que vai transportar o seu bebê.

Andador, além de perigoso, é desnecessário

Os médicos desaprovam: o andador aumenta o risco de quedas e ainda atrasa o desenvolvimento. Bebê que usa andador aprende a andar mais tarde.