Olho nas contas

Nem sempre os pais percebem que criar um bebê exige investimentos antes, durante e depois do nascimento.

Gravidez

Finanças

Prepare-se: criar um bebê custa dinheiro e não é pouco. Veja como aliviar o impacto com planejamento, criatividade e jogo de cintura.

  • Berço, trocador, carrinho e enxoval são os investimentos mais óbvios, mas preveja também os gastos com babá ou empregada (se necessário), medicamentos e suplementos no pós-parto e nos primeiros meses.

  • No serviço público, todos os procedimento de parto são gratuitos (qualquer cobrança “por fora” é crime). Já os convênios médicos podem ter cobertura apenas parciais e cobrar algumas coisas à parte. Informe-se para não ter surpresas desagradáveis.

  • Comprar por atacado é mais barato, mas lembre que o bebê cresce muito rapidamente. Não exagere no estoque de fraldas de um mesmo tamanho, por ecemplo.

  • Não se acanhe: jogue-se no chá de bebê e faça uma lista de presentes úteis, o que pode incluir fraldas.

  • Tem coisas sobrando em casa? Veja na família ou entre conhecidos se há quem queira trocar por utensílios úteis para os cuidados com o bebê. Evite apenas cadeirinhas de automóvel de segunda mão, por questões de segurança.

  • Amamentar ou não é também uma decisão econômica: dar de mamar, além de essencial, economiza gastos com mamadeiras, esterilizadores e fórmulas especiais.

Artigos Relacionados

Na ponta do lápis

Contratar uma babá ou cuidadora, seja por dia ou por mês, exige cuidado com as horas de trabalho além do previsto.

O controle financeiro começa quando o exame dá positivo

Com os filhos, vem um novo orçamento familiar. Agora, planejar os gastos, trocar experiências e não ter vergonha de economizar passam a fazer parte da sua lista

Precisamos conversar

Não espere o bebê nascer, a gestação é um ótimo momento para romper com o tabu e começar a dialogar sobre dinheiro em família.