O futuro já começou

O que seu filho vai ser quando crescer, ele decide. Mas você pode facilitar criando, desde já, um fundo para a educação dele.

13 a 18 meses

Finanças

Boa formação custa caro. Escola, intercâmbios, livros, computador, cursos de idiomas, de artes, de música... De onde vai sair tanto dinheiro?

Se não começar a se planejar desde agora, você corre o sério risco de se ver em apuros dentro de alguns anos, quando o filhote – que hoje mal anda sem apoio – estiver às portas do vestibular ou precisando fazer uma viagem de intercâmbio para aperfeiçoar um idioma.

Como ninguém tem bola de cristal para prever o futuro, mesmo que sua situação financeira atual seja confortável, é melhor se preparar para os gastos futuros com a boa formação de seu filho, que nem de longe se limitam à mensalidade escolar. Confira os caminhos para investir bem.

Poupança: É o jeito mais descomplicado. O risco é baixo e não se paga imposto de renda. E como você ainda tem longos anos pela frente, dá para juntar um bom capital ou talvez, dentro de algum tempo, remanejar parte que acumulou para uma aplicação mais rentável. Para evitar a tentação de recorrer a esse dinheiro em um aperto, crie a poupança já diretamente no nome da criança.

Fundos de investimento e ações: Como desvantagem, exigem um certo capital de saída e sempre há o risco de perder dinheiro no curto prazo. Em compensação, costumam oferecer melhor rentabilidade em longo prazo. Para não perder dinheiro, pesquise muito e não dispense a assessoria de uma corretagem confiável. Na hora de optar, peça comparativos da rentabilidade obtida pelos fundos que têm em vista em um período de três a cinco anos. Faça o mesmo em relação à carteira de ações que a corretora está oferecendo. Não esqueça, também, de verificar regime de tributação, taxas de corretagem e outras despesas embarcadas na operação.

 

Presente de avós

Se tiver intimidade, não se acanhe de sugerir que avós e padrinhos colaborem com o fundo que criou para garantir a formação do bebê.

 

Chega de supérfluos

Ao comprar roupas e acessórios, dê uma olhada em brechós e pontas de estoque. O que economizar já pode ir direto para a poupança do filhão.

Artigos Relacionados

As lembranças na maternidade e a saída com o bebê

Com baixo custo, é possível preparar mimos para dar a quem visitar o recém-nascido. E é importante ter reservado o dinheiro para ir à maternidade e voltar em uma emergência.

Os preparativos de última hora

A família deve se habituar a ter dinheiro de emergência para táxis ou remédios. A mala da maternidade também deve estar pronta com antecedência

Precisamos conversar

Não espere o bebê nascer, a gestação é um ótimo momento para romper com o tabu e começar a dialogar sobre dinheiro em família.