Não é manha

Negligência não é só deixar um bebê sem comida. Atenção, carinho e respeito também são necessidades básicas para um bom desenvolvimento.

5 a 8 meses

Comportamento

Quando o bebê chora, é porque ele precisa de alguma coisa – seja mamada, agasalho, alívio de um incômodo ou, simplesmente, afeto e segurança.

Não ser atendido nesses momentos representa para a criança um abandono que ela é incapaz de compreender e que tem um profundo impacto sobre o seu desenvolvimento. Fome, frio e má higiene são apenas consequências mais imediatas da negligência. Ao longo do tempo, a falta de afeto e de acolhimento pode originar inúmeros problemas emocionais e afetivos, além de transtornos de comportamento e, até mesmo, um sério prejuízo à capacidade de aprendizado.

Acredite: a manha como um recurso para chamar a atenção dos pais é algo que as crianças só desenvolvem mais tarde. O bebê pequeno, quando chora, é porque realmente precisa de você. Não o deixe no vácuo – atenda às suas necessidades, cuide dele, converse e dê-lhe afeto. Só assim ele terá condições plenas de se desenvolver como um ser humano completo.

 

Depressão pós-parto

Desinteresse e falta de afeição pelo bebê após o parto podem indicar problemas emocionais graves. Se é o seu caso, procure atendimento.

 

Artigos Relacionados

Astral em risco

Nem sempre o pós-parto é pura alegria. Muitas mães sentem-se desconectadas por motivos que vão de uma melancolia passageira à depressão.

Pais criam vínculos com o bebê desde as primeiras horas de vida

O bebê que se sente amparado e querido, desde as primeiras horas de vida, terá mais segurança e saúde emocional

Criação de vínculo do primeiro minuto de vida até o primeiro ano

Essa fase é fundamental para a criação de vínculos afetivos que serão determinantes para a saúde emocional da vida inteira.