Não deixe seu bebê levar mordida!

Do bichinho de estimação ou do coleguinha da creche, mordidas não são brincadeira e podem até fazer mal à saúde.

5 a 8 meses

Segurança

Embora existam várias razões que justificam a posse de um animal de estimação e muitas pessoas o considerem como parte da família, lembre-se sempre de que se trata de um ser irracional domesticado que pode, em algumas situações, morder, causar ferimentos graves e até a morte.

Cachorros mordem mais frequentemente, porém, gatos causam infecções mais graves quando mordem. Esses animais representam as espécies mais comuns de estimação, contudo, hoje em dia, existe uma variedade grande de “pets”, como cágados, répteis e roedores. Muitos deles apresentam características e comportamentos ainda pouco conhecidos e têm acontecido casos fatais de infecções por mordida de furão ou iguana.

A principal vítima de mordidas por animais de estimação é a criança, em especial a pequena, que é quem mais convive e se apaixona por eles. A criança, por falta de discernimento e habilidade motora pode, ao brincar, agredir acidentalmente o animal, que reagirá por meio do ataque ou mordida.

Além das lesões físicas, esses arranhões e mordidas podem ocasionar infecções graves (a boca do animal é altamente contaminada) e doenças, como a raiva. Por isso, toda atividade da criança junto a qualquer animal deve ser supervisionada por um adulto, mesmo que ele faça parte da casa desde antes do nascimento do bebê.

Embora haja risco de mordida, se o animal for tratado com respeito e carinho e ensinarmos desde cedo à criança a fazer o mesmo, além de seguir as regras de segurança, o animal de estimação sempre será um ótimo companheiro para todos.

As mordidas, no entanto, não se restringem aos animais. Mordidas entre crianças é mais comum do que podemos imaginar. Isso pode acontecer por imitação – a criança vê outra pessoa mordendo alguém e imita o ato – ou como forma de comunicação. Crianças pequenas ainda não conseguem se expressar por meio da linguagem, dessa forma, podem morder quando disputam um brinquedo com outra criança, ou quando não lhe dão atenção, quando estão insatisfeitas ou ansiosas com alguma coisa, com sentimentos de perda, abandono, ou rejeição e tentam chamar a atenção por meio da agressividade.

Crianças não nascem sabendo morder, assim como também não sabem dar tapas ou puxar o cabelo. Quem as ensina? Geralmente os adultos e crianças mais velhas. Muitas vezes o que a criança assiste em casa reproduz nos ambientes que frequenta. No desenvolvimento normal da criança, ocorre um período de ênfase na oralidade, em que ela coloca tudo na boca para sentir e perceber se é bom ou não.

Toda vez que os pais ou cuidadores presenciarem a criança mordendo ou tentando morder, assim como dar um tapa ou puxar o cabelo, devem intervir. É preciso ensinar, desde bem cedo, a não se expressar e comunicar dessa forma. Na outra ponta, a criança que levou a mordida deve aprender a expressar seu descontentamento, sem nunca revidar do mesmo jeito.

Artigos Relacionados

Com quem o bebê vai ficar quando acabar a licença-maternidade?

Em casa ou na creche, com babá ou parente, o importante é que o bebê fique bem cuidado e a família, tranquila.

Primeiros socorros em caso de mordidas de animais ou humanas

Se o bebê foi mordido pelo bichinho de estimação ou, mesmo, pelo coleguinha da creche, você precisa tratar do ferimento. Veja como.

O perigo das queimaduras em crianças

As queimaduras são alguns dos acidentes mais comuns dentro de casa. E podem ser muito sérios, tome cuidado!