Mamãe e bebê chegaram!

Nesse momento, eles deverão ficar juntinhos em muitos momentos. É assim que o bebê fica mais tranquilo. E a mamãe, também.

1 a 4 meses

Educação

No primeiro mês de vida, o bebê precisa de contato intenso com a mãe, pois é assim que ele começa a conhecer o mundo. Para que essa conexão se estabeleça de forma efetiva, mamãe e bebê devem ser acolhidos com atenção, cuidados e muito afeto.

A mãe deve aproveitar os momentos da troca, do banho e da amamentação para conversar, cantar baixinho, massagear o corpo do bebê e olhar em seus olhos. Essa “conversa” entre mãe e bebê ajuda na organização psicológica da criança e na construção de sua segurança afetiva.

Embora durma a maior parte do tempo, o bebê está se adaptando ao universo fora da barriga de sua mãe. Sua comunicação é por meio do choro: quando sente dor, fome, frio ou calor, fralda molhada e também quer carinho e contato físico. O bebê é competente, uma pessoa que vive grandes emoções, se expressa e precisa se movimentar. Por isso, observe o bebê. Quando não está dormindo, ele precisa do corpo da mãe e sabe como informá-la de suas necessidades e desejos.

Aproveite os momentos em que o bebê está acordado para desenvolver o seu desejo de comunicar e brincar. Fale com ele, interaja e não pare mais. Diga o nome dele, observe seus olhos atentos e sua forma de responder. Conte histórias curtas, ritmadas, em horários determinados. Mas, lembre-se: utilize sempre as palavras de forma correta, evite sempre a linguagem “tatibitati” (infantilizada).

Para acalmar o bebê, segure-o suavemente e ofereça o contato físico que ele necessita para se sentir amado e confiante.

Artigos Relacionados

A segurança do bebê começa no período pré-natal

Prepare um espaço seguro para receber o bebê que está chegando

Arrume a casa para o bebê explorar com segurança

Engatinhando ou dando os primeiros passinhos, a casa é um espaço de descobertas e aprendizado para o bebê.

Criação de vínculo do primeiro minuto de vida até o primeiro ano

Essa fase é fundamental para a criação de vínculos afetivos que serão determinantes para a saúde emocional da vida inteira.