É imitando que se aprende

Eles copiam tudo: suas atitudes, palavras, reações e o modo como se relaciona com as pessoas. Agora, exemplos valem mais do que mil palavras

13 a 18 meses

Educação

Seu pequeno já fala e domina vários movimentos. É hora de aprendizados mais sutis, que ele extrai diretamente do convívio familiar.

Mais do que nunca o exemplo dos pais, dos irmãos e de outras pessoas próximas vão servir de referência para as atitudes que seu filho irá desenvolver para lidar com as mais diferentes situações.

Na tentativa de entender melhor o mundo que o cerca, ele imita os mais velhos sem censuras. Seja menino ou menina, seu bebê poderá tentar igualmente passar batom e se barbear. Da mesma forma, vai tentar “ajudar” nas tarefas domésticas e estabelecer modos de se relacionar com as pessoas espelhados nos modelos que tem em casa.

Bacana! Significa que você pode tirar partido dessas brincadeiras de imitação para incutir no seu filho atitudes e valores que aprecia. É também um sinal positivo de desenvolvimento da inteligência e da sociabilidade dele. Por último, está aí uma ótima oportunidade de os pais perceberem (e modificarem para melhor) as próprias falhas de comportamento.

Não existe maneira mais efetiva para ensinar o bebê a se comportar, interagir e negociar com o mundo do que o exemplo que ele tem em casa. Por isso, vale a pena caprichar. São lições que ficarão gravadas pela vida inteira.

Um bom começo é conversar com seu companheiro sobre os valores que querem transmitir e agir de acordo com eles. Pode envolver coisas simples, como não interromper o que o outro está falando, dividir as tarefas domésticas sem dramas, compartilhar pelo menos uma refeição ao dia em um clima de harmonia (com todo mundo comendo verduras sem caretas nem mau humor, e com a TV desligada).

Dê chance ao pequeno para tentar fazer a coisa certa, estimulando-o, por exemplo, a ajudar a guardar os brinquedos ou a guardar as meias na gaveta. Mas muna-se de muita paciência. É provável que, nas primeiras tentativas, ele transforme o jantar em família em um festival de comida espalhada pelo cadeirão e mais bagunce do que arrume a gaveta ou o cesto de brinquedos.

Sem problemas. É acertando e errando que seu filho aprende e uma atitude compreensiva e acolhedora traz em si uma ótima lição: mostra que pequenos erros são toleráveis quando se quer acertar e que seu amor por ele é incondicional.

 

Xinga, bate, berra

Antes de achar seu bebê dono de um mau gênio incontrolável, reflita sobre os exemplos que ele encontra em casa. A convivência é uma escola.

Artigos Relacionados

Recuperando o controle

Brincar é muito bom e o bebê, claro, quer sempre mais e mais. Quando a empolgação passa dos limites, é hora de pisar no freio.

O bebê já fica em pé

Conforme os bebês amadurecem, seus cérebros passam por processo no qual as células do cérebro, os chamados “neurônios”, desenvolvem-se pelas experiências que envolvem repetição, imitação e brincadeiras. Por isso é tão importante ajudar o nenê a consolidar as experiências já conhecidas. É preciso ter equilíbrio e qualidade nos estímulos que os cuidadores próximos e o ambiente oferecem ao bebê. Para isso, permaneça fisicamente disponível e atento ao lado do bebê, supervisionando, enquanto el...

Prepare o cérebro de seu bebê para aprender mais e melhor

O aprendizado de seu bebê não começa na escolinha. Começa dentro de sua barriga.