Deixe seu filho aprender mais

Você fica com pena quando o seu filho está tentando fazer algo e tem dificuldade? Pois você deveria sentir-se feliz e orgulhoso: ele está crescendo e aprendendo!

1 a 4 meses

Desenvolvimento

Quando a criança está em seu primeiro ano de vida, tudo é novidade para ela, tudo é desafiador, difícil e, portanto, uma oportunidade constante de aprendizado. Primeiro o movimento e o esforço para nascer (em parto normal), depois para sugar o leite do peito e assim por diante. Porém os pais, querendo proteger seus filhos, estão sempre intervindo, tentando facilitar as coisas ou, mesmo, oferecendo ferramentas para ajudar. É o caso do uso do andador, por exemplo, que os pediatras já condenaram por trazer risco de acidente e, ainda, atrapalhar o desenvolvimento da criança. Além disso, ao rolar pelo chão, tentar levantar e se esforçar para ficar de pé e dar os primeiros passos, mesmo depois de diversas tentativas frustradas, a criança está desenvolvendo a resiliência, ou seja, a capacidade para enfrentar e superar os desafios, habilidade tão importante para ser um adulto saudável no futuro.

O esforço e a perseverança são aprendizados básicos para a vida. Mas se você costuma “facilitar” as coisas – como pegar o objeto que ele está tentando alcançar, dar a mamadeira em vez do peito, oferecer comida sem casca ou muito amassada, ou um brinquedo eletrônico que faz tudo sozinho, entre outras atitudes aparentemente inofensivas – sem querer você está contribuindo para o enfraquecimento da força de vontade que seu filho carregará para o resto da vida e criando a falsa impressão de que tudo será fácil e disponível.

Estudos mostram que as crianças precisam enfrentar e superar certas dificuldades, assim como é essencial que recebam limites dos adultos. Ao enfrentar e lidar com qualquer situação que fuja de seu controle e de suas vontades, a criança vai aprendendo que existe um mundo além de si, criando uma noção de limites que ajudará a protegê-la e a proteger outras pessoas também. Do contrário, sem limites e crescendo com a noção de que pode ter tudo o que quer, a criança fica birrenta e não hesita em ferir alguém para conseguir seu objetivo. O que podemos esperar de um adulto que foi uma criança assim?

 

Criança precisa sugar e mastigar

Você sabia que, além de nutrição, a alimentação também representa um exercício fundamental para o desenvolvimento físico e mental de seu bebê? Começa pela amamentação, que é o primeiro exercício de força de vontade do seu filho (sugar não é tão fácil quanto parece!) e segue pelo aprendizado da mastigação e o conhecimento de diferentes texturas e sabores dos alimentos. Pular alguma etapa, dando mamadeira porque ele não está sugando o suficiente, ou apenas papinhas moles, limitando a variedade de nutrientes, gostos e texturas dos alimentos sólidos, além de não estimular a força de vontade da criança também estará afetando o bom desenvolvimento de seu sistema digestivo, da respiração e até da musculatura do rosto. Isso porque sem os movimentos de sucção e mastigação corretos, é provável que ela desenvolva má-formação dentária e problemas respiratórios, digestivos e na articulação da fala. Portanto, não apresse ou facilite processos que são naturais. Invista tempo e paciência na alimentação de seu filho; o resultado é compensador.

 

Estimular a superação de desafios não é relaxar no cuidado!

Quando falamos em deixar as crianças enfrentarem as dificuldades do dia para que possam aprender e crescer, vale o bom senso: avalie se as atividades estão ao alcance da fase de desenvolvimento do bebê e se não colocam em risco sua segurança.  Assim, por exemplo, você pode estimular o bebê a engatinhar pela sala, desde que tenha tido o cuidado de proteger as tomadas e o acesso às escadas, por exemplo. Evite, também, pressionar o bebê a executar atividades para os quais ele ainda não está maduro: por exemplo, não force a tirada das fraldas se perceber que ele ainda não tem o controle do xixi. Lembre-se: estimular a superação de desafios não significa negligenciar o cuidado, a atenção e o carinho constantes que o bebê precisa receber de seus cuidadores; as crianças precisam ser preservadas ao máximo. Também não é positivo levar a questão dos limites ao extremo e começar a dizer NÃO para tudo. A criança precisa de equilíbrio e, acima de tudo, segurança, autonomia e liberdade para se desenvolver ao máximo dentro de suas capacidades.

Artigos Relacionados

Cada um no seu compasso

O desenvolvimento é feito de pequenas conquistas e todas elas têm um tempo que só o bebê é capaz de determinar.

Chutou! Chutou!

Cada bebê tem um ritmo diferente. Alguns vivem se mexendo, outros precisam de um empurrãozinho... Mas a falta total de movimentação preocupa.

Organização do quarto e autonomia do bebê

Na hora de arrumar o quarto do bebê, não pense apenas se ele ficará bonito; pense em detalhes que ajudarão no desenvolvimento dele.