Bem vestida, sem gastar muito

Como montar um guarda-roupa básico para a gravidez, gastando pouco ou aproveitando peças de outras gestantes

Gravidez

Finanças

Começa assim: aquela saia ou bermuda de que você tanto gosta fica apertada. A barriguinha já aparece,mas, mesmo com um pouco de incômodo, ainda dá para se virar com a maioria das peças do guarda-roupa. Então, um dia,você tem de deixar no armário as calças jeans e as blusas mais justas. E depois até a maioria das roupas de malha. Com dois, três ou quatro meses de gravidez, dependendo da mulher, já é preciso ter um novo guarda-roupa.

Gravidez é aquele período cheio de dúvidas quando se trata do que vestir. Por um lado, é tempo demais para ficar usando apenas meia dúzia de peças. Você tem que se arrumar todos os dias, ao longo de alguns meses, para várias situações: trabalho, festa, ginástica, passeios, compras, trabalhos domésticos. E as roupas precisam de lavagem e secagem. Por outro lado, gravidez também não é um período longo o suficiente para que valha a pena comprar muitas peças de roupas.

A coisa mais imediata a fazer é separar no armário as peças que podem continuar servindo durante a gravidez, como vestidos soltos, calças largas e blusas grandes e compridas. A segunda medida é recorrer a parentes e amigas que já tiveram filhos. As roupas delas provavelmente estarão novas ou seminovas, prontas para serem vestidas por outra gestante sem parecerem acabadas.

Se ainda assim for preciso comprar algumas peças, também dá para fazer economia. Têm surgido algumas lojas especializadas em roupas para gestantes, mas elas geralmente são caras, e o que vale mesmo a pena comprar lá é um bom par de calças jeans ou sociais, daquelas com uma faixa de malha na altura da barriga. Quase todas as grandes redes de lojas de departamentos já criaram linhas de roupas para grávidas com preços mais em conta do que nas butiques. Algumas dessas redes só têm camisolas, outras vendem poucos tipos de peças, mas vale a pena entrar numa delas e perguntar sobre a seção para gestantes, que nem sempre é fácil de encontrar. As feirinhas ou os polos de roupas de malhas são outra boa fonte de peças baratas e de boa qualidade.

Os especialistas em moda costumam apontar seis ou sete itens que não podem faltar no guarda-roupa de uma mulher. E gostam de dizer que é melhor ter poucas peças que combinam com tudo do que um montão de roupas descoordenadas. O mesmo conselho vale para as gestantes: o ideal é ter um armário enxuto, mas que sempre tem algo que a grávida tem prazer de usar.

Para ajudar na escolha, uma lista com dez sugestões: 1) dois pares de calças pretas de malha tipo pantalona, aquelas com as pernas soltinhas; 2) um par de calças jeans com tecido elástico na cintura; 3) dois vestidos soltos de malha ou de algodão, um para dias mais quentes e outro de mangas compridas; 4) uma saia longa de malha, com um elástico que não aperte na cintura; 5) duas calças legging de cores neutras, que servem para os exercícios e para passeios mais informais; 7) duas camisolas ou pijamas folgados; 8) três blusas soltas e curtas para usar com a saia e com as calças largas; 9) três blusas mais compridas; 10) e os acessórios que você já tem no armário, de colares a lenços e pulseiras, e que podem fazer suas roupas ficarem diferentes a cada dia.

Artigos Relacionados

As lembranças na maternidade e a saída com o bebê

Com baixo custo, é possível preparar mimos para dar a quem visitar o recém-nascido. E é importante ter reservado o dinheiro para ir à maternidade e voltar em uma emergência.

Os presentes dos amiguinhos

Com até R$ 20, é possível comprar presentes para as festinhas que estão por vir

O novo saiu de moda

Quase tudo que seu bebê precisa para viver com conforto já foi produzido e está disponível no mundo, basta compartilhar para economizar.