As novas contas da casa

Com mais tempo em casa, aumentam as contas de luz, água e gás

Gravidez

Finanças

Com um bebê em casa, a rotina muda mais do que a gente imagina. E isso inclui um salto nas contas de consumo. A mãe e o bebê estarão o dia inteiro em casa. E algumas famílias que não tinham empregada doméstica passarão a ter essa ajuda. Com isso, é maisgente usando água, luz, gás e telefone, pelo menos nos primeiros meses de vida do bebê.

Se você vive em uma cidade muito quente e o bebê vem no verão, é ar-condicionado ligado boa parte do tempo, às vezes mais de um, ou ventiladores funcionando pela casa toda. Haverá um aumento bem grande no valor da conta de luz. Mesmo sem ar-condicionado e ventilador, as lâmpadas estarão acesas mais tempo, sobretudo em casas que não têm boa iluminação natural.

O fogão e o forno de micro-ondas vão trabalhar sem parar por alguns meses, fervendo mamadeiras, chupetas e bicos de silicone para a amamentação. No início da vida do bebê, ainda há a recomendação de alguns pediatras de fervera água para o banho.

Você vai falar mais ao telefone, fixo ou celular, seja para pedir produtos na farmácia, conversar com o pediatra, resolver problemas do funcionamento da casa ou dar um alô para os parentes e amigos.

Nas primeiras semanas, o bebê mama de duas em duas horas. A distração de muitas mães que amamentam – ou dos pais que dão mamadeira – é ficar em frente à TV, assistindo a programas ou a filmes, de manhã, de tarde, de noite e de madrugada.

O movimento da casa não será apenas dos pais, do bebê e da empregada. Conte com o entra e sai de parentes e com as outras visitas. Abasteça a despensa com lanchinhos e encha a geladeira com mate, sucos e refrigerantes para servir às pessoas. Na primeira e na segunda visitas, você pode até achar divertido pedir uma pizza. Você está com vontade de comer algo diferente, é prático ligar e pedir, e quase todo mundo gosta. Mas, quando começam a aparecer visitas duas, três vezes por semana, a brincadeira fica cara. No fim, pedir pizza a cada vez que uma visita aparece pode sair por mais de R$ 500 por mês.

A solução mais barata é comprar pipocas de micro-ondas, amendoins, caixas de bombons e bebidas não alcoólicas. Esses comes e bebes não são tão caros, não sujam talheres e não precisam ir ao forno. Os amigos vão entender que você tem um bebê pequeno para cuidar e que a família está cansada. Não vão esperar um banquete quando forem fazer uma visita.

Artigos Relacionados

Os preparativos de última hora

A família deve se habituar a ter dinheiro de emergência para táxis ou remédios. A mala da maternidade também deve estar pronta com antecedência

Precisamos conversar

Não espere o bebê nascer, a gestação é um ótimo momento para romper com o tabu e começar a dialogar sobre dinheiro em família.

Fiquei grávida e agora?

Saiba como organizar as finanças da família mesmo quando a chegada do bebê não foi planejada.