A ética e a moral dependem de um cérebro saudável

Para ser um bom cidadão, seu filho precisará ter um cérebro em perfeito funcionamento.

Gravidez

Desenvolvimento

A decisão de escolher entre o certo e o errado e a capacidade de agir de acordo com leis e normas sociais envolvem muito mais do que uma boa educação.  Além de influências do meio ambiente e das condições sociais e econômicas, os pesquisadores estão descobrindo que pode haver, ainda, um outro fator pesando nessa balança: a saúde do cérebro.

Pesquisas indicam que lesões em determinadas partes do cérebro – sobretudo no lobo frontal (situada na parte da frente, na região da testa) – podem resultar em dificuldades de aprendizado de normais sociais ou conceitos morais.

Alguns pesquisadores têm até sugerido que uma boa parte dos condenados às prisões poderiam ser vítimas de danos cerebrais, tendo, portanto, mais dificuldade em sentir compaixão e empatia do que pessoas com o cérebro saudável. Essa distinção – muitas vezes perceptível apenas em sofisticados exames de neuroimagem – poderia explicar, por exemplo, a diferença de comportamento entre um Hitler e uma Madre Teresa de Calcutá.

É claro que diversos estudos nesse sentido ainda estão em andamento e os próprios pesquisadores alertam que a disfunção cerebral é apenas um componente numa enorme lista de variáveis envolvidas na construção de nossa personalidade. Afinal, ninguém nasce pronto, todos são capazes de mudar a própria história.

Contudo, é inegável que, quando se está gerando e cuidando de uma nova vida, as novas pesquisas sobre o cérebro aumentam ainda mais a responsabilidade com a realização de um pré-natal correto e com os cuidados do bebê na primeira infância. A prevenção é a melhor maneira de garantir um cérebro saudável e qualidade de vida a essa nova vida em desenvolvimento.

 

Cuidado com o que você ingere

O que a mamãe come e bebe, desde a concepção, pode ser determinante para a saúde cerebral do bebê. Álcool, drogas e diversos medicamentos podem ter ação extremamente prejudicial sobre o cérebro em formação. É preciso, também, um cuidado extra com a alimentação, garantindo que a mamãe tenha todos os nutrientes de que o bebê necessita para crescer saudável. Além de uma dieta equilibrada, com diversas frutas e verduras, o pediatra pode receitar suplementos vitamínicos.

 

Previna as quedas

Você sabia que a maior parte das quedas sofridas por bebês com menos de um ano são quedas do colo?! Por isso, cuidado ao pegar o bebê. Quando o bebê está aprendendo a andar, quedas também são comuns e, geralmente, a cabeça é a primeira parte do corpo que bate no chão, pois, nessa fase, ela é proporcionalmente grande em relação a toda a estrutura física da criança. A maior parte dessas quedas não é grave. Mas, em caso de dúvida, não deixe de consultar um pediatra.

Artigos Relacionados

O poder do amor no desenvolvimento cerebral do bebê

Atitudes carinhosas promovem, especialmente nos primeiros anos de vida, alterações físicas no cérebro com repercussões positivas para o resto da vida

Cuidado: frágil!

Não importa se é por descontrole, nervosismo ou brincadeira, sacudir o bebê com força pode causar lesões cerebrais e levar à morte.

À flor da pele

Sem a linguagem, o toque é a principal forma de comunicação do bebê com o mundo e a que fala mais alto no seu amadurecimento emocional.